sábado, 9 de janeiro de 2021

Curso Inclusão, Diversidade, Escola, Biblioteca

 


Inclusão, Diversidade, Escola, Biblioteca : Mediação Leitora e a Biblioteca como Ferramenta de Inclusão

Maria José Vitorino, Laredo Associação Cultural Área de Formação C – Formação Educacional Geral e das Organizações Educativas Curso de Formação. E-learning. 25 h. teórico-práticas Registo de acreditação CCPFC/ACC-103700/19 Validade 06-05-2022 Formadores : Maria José Vitorino com Miguel Horta

Objetivos • Refletir sobre a importância da Biblioteca e da mediação leitora como ferramentas de inclusão • Adquirir ferramentas diversificadas para atualização de conhecimentos e competências das equipas multidisciplinares • Abordar diferentes metodologias de intervenção, refletindo sobre opções estratégicas viáveis para o professor/mediador • Partilhar saberes desenvolvidos pelas práticas e pelo trabalho continuado com a diversidade, capacitando para o Decreto-Lei 54/2018 • Elaborar propostas de trabalho a desenvolver em contextos educativos formais e/ou outros • Contribuir para a afirmação de uma Escola e sociedade mais inclusivas.

Informações e inscrições AQUI


domingo, 19 de abril de 2020

Curso Mediação Leitora e bibliotecas - um caminho para a inclusão



O nosso curso
adaptou-se aos tempos de pandemia
tornando-se, por agora
totalmente on-line.

INCLUSÃO, DIVERSIDADE, ESCOLA, BIBLIOTECA: MEDIAÇÃO LEITORA E A BIBLIOTECA COMO FERRAMENTA DE INCLUSÃO (20/04/2020 a 13/05/2020)
Totalmente on-line!
Ação de formação do Centro de formação António Sérgio, desenvolvida em parceria com a LAREDO ASSOCIAÇÃO CULTURAL e acreditada pelo CCPFC para efeitos de Progressão da Carreira Docente, destinado a Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial, incluindo professores bibliotecários e ao público em geral interessado nestas temáticas.
Formadores: Maria José Vitorino - Miguel Horta
1 Crédito - 25 horas - para efeitos de Progressão da Carreira Docente, para Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial, incluindo professores bibliotecários
Mais: http://cfeantoniosergio.ccems.pt/


domingo, 5 de abril de 2020

Notas sobre recensão inclusiva de livros para a infância e juventude



Antes de começar a falar de livros deveremos colocar uma espécie de “óculos” para podermos ler os leitores, com acuidade. Esses “óculos inclusivos” vão dar-nos um ponto de vista justo e equilibrado sobre os processos de mediação e escolha de livros para diferentes grupos de pessoas. Rapidamente nos apercebemos que, no horizonte das literacias, nos deveremos colocar num ponto de vista claro, para poder identificar, com objectividade, fenómenos e situações de Exclusão que vão condicionar o acesso à produção cultural. Esse olhar apurado vai permitir entender que para diferentes leitores existem diferentes respostas. Identificar as diferentes exclusões vai ajudar a conhecer a nossa biblioteca através desse ponto de vista. As exclusões podem ser de natureza distinta: cultural, linguística, religiosa, económica, geográfica, por doença, por deficiência física, por diversidade funcional de diversas origens; sabendo nós que as exclusões tendem a agrupar-se num mesmo indivíduo. Estes “óculos” reveladores, assim que poisados nos livros, conseguem identificar, também, as apetências intrínsecas da nossa biblioteca. Assim, este ou aquele livro, jogo, documento audiovisual, ou outra peça da coleção, ajusta-se à Promoção da Inclusão, ou é potencialmente Inclusivo, ou, ainda, claramente Acessível a este ou àquele grupo de leitores.Importa, porém, fugir da solução tentadora, e quase taxonómica, de organizar os livros de acordo com a deficiência ou característica de exclusão dos nossos leitores especiais. Através da nossa óptica, um olhar humano confirma que, a montante no leitor, existe uma personalidade, gostos e interesses específicos que potenciam escolhas e, sobretudo, um nível etário, um nível de leitura, e, ainda, uma relação com a língua da obra, que permitem estabelecer naturalmente o momento ideal para as descobertas leitoras – e só depois de ponderados estas dimensões se contempla o factor de diversidade funcional. Assim, a selecção dos livros surgirá sempre do entendimento desta diversidade humana, com base na experiência real da mediação leitora e na consciência bibliotecária, consequência de um olhar apurado através de lentes inclusivas.

Miguel Horta, 2019

Ver artigo completo AQUI

segunda-feira, 7 de outubro de 2019


FOLIO EDUCA - Exposição: “Dilfícil” Leitura – histórias de caminhos largos a passar pelo FOLIO Educa.
Por aqui se explicam caminhos de leituras inclusivas que começaram com a vontade expressa pela Biblioteca Municipal de Torres Vedras, convertida num conjunto de oficinas improváveis. Pararam em Óbidos para refletir num projeto/laboratório batizado de Dilfícil Leitura, no FOLIO EDUCA de 2017, o que gerou crescimento reticular: do Centro Escolar da Ventosa, à EB 23 de Sarrazola (Sintra), passando pela proposta Alto Minho a Ler, saltando fronteiras com a Rede de Bibliotecas Escolares da Galiza.
Inaugura no dia 13 de outubro, incluída no Folio/Educa (FOLIO – Festival Internacional de Literatura de Óbidos) a exposição Dilfícil”Leitura – histórias de caminhos largos a passar pelo FOLIO Educa. Terá lugar às 17.30h, na Biblioteca Municipal de Óbidos
https://miguel-horta.blogspot.com/2019/10/historias-de-caminhos-largos-passar.html#more

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Inclusão, Diversidade, Escola, Biblioteca: Mediação Leitora e a Biblioteca como Ferramenta de Inclusão

No primeiro dia do curso, 
um momento prático no pátio grande da Secundária António Damásio.
Experimentando um brinquedo voador (por indução) 
que utilizo nas dinâmicas de corpo e movimento, 
muito útil para trabalhar o foco com meninos e meninas especiais. 

Está a decorrer o curso Inclusão, Diversidade, Escola, Biblioteca: Mediação Leitora e a Biblioteca como Ferramenta de Inclusão, Formação acreditada pelo CCPFC para efeitos de Progressão da Carreira Docente, para Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores do Ensino Especial, incluindo professores bibliotecários. Aberta a outros profissionais (terapeutas, mediadores culturais, técnicos de serviço educativo …) 25h - 21h presenciais (Lisboa), 4h online.
Objectivos:
Reflectir sobre a importância da Biblioteca e da mediação leitora como ferramentas de inclusão
Adquirir ferramentas diversificadas para actualização de conhecimentos e competências das equipas multidisciplinares
Abordar diferentes metodologias de intervenção, reflectindo sobre opções estratégicas viáveis para o professor/mediador
Partilhar saberes desenvolvidos pelas práticas e pelo trabalho continuado com a diversidade, capacitando para o DL 54/2018
Elaborar propostas de trabalho a desenvolver em contextos educativos formais e/ou outros
Como esgotou a primeira turma, abrimos uma segunda. Em breve divulgaremos o calendário.
Para mais informação contactar Centro de Formação António Sérgio. 
Telefone: 21 831 0197
Outras ferramentas e metodologias em miguelhorta.pt

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Açores Formação. Museus e Bibliotecas: Públicos com Necessidades Educativas Especias



Depois do impacto do primeiro curso “Museus e Públicos com Necessidades Educativas Especiais” promovido pela direção Regional de Cultura dos Açores, surge agora a II edição, dando resposta à lista de espera que entretanto se formou. Esta edição, que decorrerá de 11 a 13 de fevereiro no Teatro Micaelense
em Ponta Delgada, foi adaptada, nos seus conteúdos, face ao crescente interesse dos profissionais das Bibliotecas, contemplando, na mesma, a realidade dos Museus regionais.Curso teórico/prático que pretende dar uma visão atualizada do trabalho que vem sendo desenvolvido na criação de acessibilidades e promoção da inclusão em estruturas culturais do nosso país, com especial incidência na acessibilidade aos conteúdos e aos desafios reais da inclusão. Ao longo de três dias partilhei algumas ferramentas e metodologias que costumo aplicar na minha prática de mediação. Esta formação dará muita atenção à construção de respostas locais, aproveitando a circunstância do Curso para debates inter pares. À hora em que escrevo esta nota, o curso estava quase preenchido. Para inscrição contactar a direção Regional de Cultura, até ao dia 1 de fevereiro.
Miguel Horta

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Inclusão, Escola, Biblioteca: Mediação Leitora, Educação artística e Necessidades Educativas Especiais


Está a decorrer mais uma edição do curso “Inclusão, Escola, Biblioteca: Mediação Leitora, Educação artística e Necessidades Educativas Especiais” promovido pelo Centro de Formação de Escolas António Sérgio, sendo eu e a Maria José Vitorino os formadores de serviço, com um convidado especial: Simão Costa. Ao longo deste curso, pretendemos que os docentes adquiram ferramentas diversificadas e conhecimento mais atualizado que permitam uma melhor intervenção junto dos públicos especiais. Abordaremos diferentes metodologias de intervenção, refletindo sobre os vários caminhos que se apresentam ao professor/mediador. Esta formação será um espaço de partilha dos saberes que se vão adquirindo pelas práticas e pelo trabalho com estas populações específicas. Dado o interesse que esta formação tem suscitado, estamos a ponderar a hipótese de fazer uma segunda edição, em breve.
Centro de Formação de Escolas António Sérgio: http://cfeantoniosergio.ccems.pt/